Como funciona o campo harmônico para guitarra

Como funciona o campo harmônico para guitarra

Todos as pessoas que estão iniciando a carreira como músico, ou aqueles que já tocam a mais tempo, já devem ter ouvido falar de teoria musical. E dentro da teoria musical existem diversos caminhos, dentre esses caminhos para um bom aperfeiçoamento de um músico, ainda mais um guitarrista, existe o campo harmônico. Sendo assim, vamos apresentar para você o campo harmônico para guitarra, para te ajudar no seu desenvolvimento e aperfeiçoamento como um guitarrista.

O que é campo harmônico?

É importante para um músico aprender as teorias de músicas para colocar em prática, para que toque da melhor forma possível. Sendo assim, para que você consiga aprender sobre o campo harmônico para guitarra, é preciso entender o que ele é.

 

Nada mais é que um grupo de acordes, que foram gerados a partir de uma escala estabelecida. Temos, por exemplo, a escala de  C (dó maior), que compreende os acordes: C (Dó), D ( Ré), E (Mi), F (Fá), G (Sol), A (Lá), B (Si).

Como descobrir o campo harmônico de uma música?

Para que você consiga descobrir um campo harmônico para guitarra de uma música, o primeiro elemento a ser identificado é o acorde dominante, descobrindo o acorde dominante você consegue encontrar em que campo harmônico os acordes envolvidos pertences. É de grande importância destacar que os acordes dominantes, em sua grande maioria, resolvem o primeiro grau de uma escala. Depois disso, você faz uma análise dos acordes que são anteriores ao dominante, em seguida, os posteriores. Vale destacar que esse método é usado tanto nas tonalidades maiores quanto nas menores.

Como formar um campo harmônico

Considerando qualquer nota da escala de Dó, é possível fazer a formação de um acorde. Portanto, serão formados cerca de sete acordos nesse campo. Para formar um determinado acorde, é necessário usar os primeiro, terceiro e quinto graus, que são contados a começar desta nota, acima da própria escala de Dó (C). Ou seja, iniciando do C, portanto, podemos dizer que o primeiro grau é a própria nota C. Em seguida, o terceiro grau é o Mi (E). Depois disso, o quinto grau é o Sol (G).

Acordes do campo harmônico de dó

Temos como exemplo, o campo de C (dó maior), que é o primeiro acorde gerado é o Dó maior, sendo constituído pelas notas C (Dó), E (Mi), G (Sol). Formando assim, o acorde C (Dó maior), note que o E (Mi) é a terça maior de C.

Dado isso, agora vamos utilizar outra nota, D (Ré), para montar o próximo acorde dessa escala. De início como primeiro grau temos o próprio D, como terceiro grau temos o F (Fá) e como quinto grau temos o A (Lá). Concluindo que, o segundo acordo firmado nesse campo harmônico é constituído pelas notas D, F e A, dessa forma formando o acorde Dm (Ré menor), note que a nota F é a terça menor de D.

 

Sendo assim, ao montar esses acordes, é possível notar que foram montadas as tríades e, também, se nota que as notas usadas para os acordes foram apenas a da escala de Dó maior.

 

Levando isso em consideração, após a formação da tríade, podemos observar a questão da terça de qualquer acorde, se ela tenha ficado maior ou menor. É possível também verificar a quinta de cada acorde, porém, você verá que ela sempre acaba se tornando a quinta justa, com exceção do último acorde, que terá como composição do acorde a quinta bemol (b5). Um ótimo exercício para que seja possível praticar, é formar os acordes que restam dentro desse campo.

 

Veja a tabela logo mais:

 

Campo harmônico com tétrades

Agora que acima conseguimos montar um campo harmônico usando as tríades, que consiste na formação de duas terças. É possível notar que ao montar esse campo, utilizamos as notas do primeiro, terceiro e quinto graus da escala.

 

Nesse momento, iremos estender ainda mais o conceito para as tétradas, em que é a formação de mais uma terça sobre cada acorde, dessa forma, alcançando as sétimas dos acordos. Funciona basicamente da mesma forma que as tríades, porém irá alcançar as sétimas. Quer dizer que, além dos primeiro, terceiro e quinto graus, também será incluído, para formação de um acorde, o sétimo grau.

 

Analisando a escala de dó (C), iniciando pela mesma nota C, percebemos que o sétimo grau é a nota Si (B). É importante lembrar que os outros graus, no caso, o quinto e o terceiro, já foram vistos anteriormente. Com isso, podemos notar que o campo harmônico dessa escala foi constituído pelas notas C (Dó), E (Mi), G (Sol) e B (Si), dessa forma, gerando o acorde C7M ( Dó com sétima maior).

 

Dado isso, você pode aplicar a mesma regra com as demais notas da escala de Dó, como por exemplo, na nota D (Ré), podemos formar o acorde Dm7 (Ré com sétima menor), que é constituído pelos os acordes D(Ré), F (Fá), A(Lá) e C (Dó).

 

Para que você compreenda ainda melhor, o símbolo 7 no acorde, representa a sétima, e o “m” e “M”, representam respectivamente, menor e maior. Portanto, quando houver no acorde, m7, como temos no acorde Dm7 significa dizer que a nota ré está com a sétima menor. Enquanto se acordo houver 7M, como temos no acorde C7M significa dizer que o dó está com a sétima maior.

 

Veja a tabela abaixo:

 

Campo Harmônico maior e campo harmônico menor

Com isso, podemos notar que ao fazermos a montagem dos campos harmônicos com tríades e tétrades, utilizamos os campos harmônicos maiores. Como exemplo, o campo de Dó maior, nele podemos formar todos os acordes possíveis com as notas C (Dó), D (Ré), E (Mi), F (Fá), G (Sol), Lá (A) e B (Si), como foram mostrados nos exemplos acima. E, todos esses acordes podem ser utilizados para uma música que tenha a tonalidade de C.

 

Nos campos harmônicos de maiores todas as notas irão seguir essa formações de graus:

 

  • I7M IIm7    IIIm7     IV7M     V7     VIm7     VIIm7(b5)

 

No campo harmônico menor, funciona basicamente da mesma forma que o maior, através do agrupamento das terças, com as notas da escala de C, podemos formar diversos acordes e tocar também nas músicas que possuem a tonalidade de Dó maior.

 

Nas tabelas mostradas já é possível verificar quais as terças maiores e menores dos acordes formados pela escala de Dó maior. Como sendo também de suma importância lembrar, que em todas as escalas compostas por tríades e tétrades existem os campos harmônicos maior e menor. Para entender melhor veja as tabelas dos campos harmônicos maior e menor a seguir:

 

Agora que voce ja sabe sobre o que é campo harmonico, Confira nosso curso de guitarra.

 

Tags: | |

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.