Malcolm Young e seu legado como guitarrista

Malcolm Young e seu legado como guitarrista

Malcolm Young nos deixou há 3 anos, mas seu legado como guitarrista está vivo até os dias de hoje. Muitas pessoas dizem que ele era o coração do AC/DC, responsável pelos riffs e por segurar a base para seu irmão deitar e rolar nos solos. Mas qual o legado de Young como guitarrista?

Sem ele é impossível imaginar o que seria o AC/DC enquanto seu irmão rodava pelo palco de um lado para o outro, ele ficava de trás com sua pose de Mal. Era dele os riffs icônicos de Back in Black e TNT. Era ele que era responsável por executá-los durante os shows.

Por isso vamos ver melhor as contribuições de Malcolm Young para o rock como guitarrista.

 

O AC/DC e o rock dos anos 70

 

É certo que o AC/DC foi crucial para o rock na virada dos anos 70 o estilo que estava em alta era o Rock Progressivo majoritariamente. Com algumas concessões a Led Zeppelin, Black Sabbath, Deep Purple e Companhia que eram vistos como dinossauros do Rock. E o AC/DC pertence a esta leva que era conhecida como dinossauros.

Entretanto, chegando num momento de virada onde viria a competir com o Punk, AC/DC apresentou músicas um pouco mais simples e fáceis. Porém com uma pegada Rock and Roll, assim era inaugurada a segunda fase do Rock que seria composta por AC/DC, Van Halen entre outras bandas.

Mas essa foi apenas uma breve apresentação da banda de Malcolm Young, e como ele pode ter contribuído para a banda? E desta forma feito sua contribuição para o Rock?

 

A guitarra de Malcolm Young

Young era um guitarrista base, mas a base sempre foi fundamental em todos os gêneros. Ela é responsável por segurar o ritmo da música e não deixar um vácuo enquanto o solo acontece. E principalmente oferecer os riffs que muitas vezes são feitos pelo guitarrista base.

Imagina você em um show do AC/DC e não rolar os riffs de “Highway to Hell”, “TNT”, “Back in Black”. Esses todos são cortesias do nosso guitarrista base Malcolm Young, e boa parte deles compostos por ele.

Embora essa questão de autoria possa ser relativa pois muitas vezes nem mesmo os próprios autores sabem quem compôs o que. Mas é certo que muita coisa foi feita pelo Malcom e mesmo o que não foi composto por ele, era executado por ele ao vivo.

Por essa razão muitos o consideram o coração da banda, pois é ele quem faz o coração pulsar no primeiro momento. O riff é como a identidade da música e é através dele que a música é reconhecida pelo público.

Conclusão

A contribuição de para o rock Malcolm Young se faz da seguinte forma, ele pode ser um dos pais dos Riffs de guitarra. É claro que existem muitos outros como Eric Clapton, Tommy Iommi e tantos outros. Mas a força do AC/DC que vendeu impressionantes 50 milhões de cópias com o Back In Black faz com que ele seja um dos mais reconhecidos guitarristas bases do mundo.

Quando ouvimos um Riff desde “Welcome to the jungle” até “Seven nation Army” podemos ter um pouco de Malcolm Young. Esses riffs calcados no grave e que algumas vezes seguem durante a música são uma marca do Malcolm. E ele influenciou muita gente de sua geração e das gerações futuras.

Por isso é correto dizer que o legado maior de Malcolm Young são os riffs. Eles podem ser a chamada ou a base de uma música, mas certo é que eles são a identidade da mesma. E o estilo de Young segue vivo até hoje.

 

Que tal tentar tocar igual o Malcolm Young? Confira nosso curso clicando aqui.

Tags: | | |

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *